Como minimizar impacto financeiro do seu negócio durante a crise?

financa-crise-cononavirus

Com a crise ocasionada pelo Coronavírus (COVID-19) muitas empresas tiveram uma queda expressiva em seu faturamento e estão buscando alternativas para cumprir com seus compromissos financeiros e manter a empresa funcionando.

Sabemos que, com a realidade da Micro e Pequena empresa no país, os negócios geralmente não possuem capital de giro suficiente para cobrir um período com baixo faturamento e uma alternativa é a busca por um financiamento.

Pensando nisso, separamos algumas orientações anunciadas por instituições financeiras com o objetivo de auxiliar empresas de diferentes segmentos que possam ser afetadas nesse momento. Veja as orientações:

1. Possibilidade de prorrogação de dívidas:

As instituições financeiras anunciaram a possibilidade de prorrogação de dívidas (apenas para os contratos adimplentes) por até 60 dias.

Caso você tenha um financiamento e está em dia com ele, deve procurar o seu gerente de contas para encaminhar a prorrogação, pois esse não será um processo automático.

2. Operações de Cartão de Crédito e Cheque Especial:

A prorrogação de dívidas anunciada pelos bancos não se enquadra para as operações de cartão de crédito ou cheque especial. Nesses casos, é preciso entrar em contato com o gerente de sua conta em busca de uma renegociação.

Inclusive-se orienta-se estudar a possibilidade de mudar o tipo financiamento (exemplo: sair do cheque especial e aderir a uma linha de financiamento com juros menor e, principalmente, com um bom prazo de carência).

3. Novos limites para Operações Financeiras:

As instituições financeiras destinarão recursos para novas operações, principalmente para capital de giro. Essas novas concessões de crédito deverão ter carência de pelo menos 06 meses e extensão de prazos de pagamentos.

Importante: Antes de buscar um novo financiamento ou solicitar a prorrogação da dívida, deve-se projetar a necessidade de fluxo de caixa pensando em um cenário realista/pessimista para os próximos meses, com uma projeção de margem para o negócio. Esse recurso deve focar na manutenção dos gastos e despesas que não podem ser adiados.

4. Redução na taxa Selic:

Nos últimos dias houve uma redução na taxa Selic e já foi anunciado pelas instituições financeiras que essa redução será repassada para os novos financiamentos. É importante, nesse momento, você insistir na negociação, principalmente na taxa de juros e nos prazos de pagamento e carência.

5. Busque o seu banco!

Com a instabilidade no mercado será mais fácil negociar uma operação de crédito com o banco que você já possui relacionamento. Portanto, munido dessas orientações, procure o seu gerente em busca da melhor alternativa que o banco pode disponibilizar.

Atenção: É de suma importância que, antes de você fazer a solicitação de crédito, analise profundamente a necessidade desse valor. Leve em conta o seu fluxo de caixa e disponibilidade de capital de giro, pois essas serão as informações usadas como base para se chegar às seguintes conclusões: será necessário, ou não, o crédito? Qual o valor será solicitado?

Continue por dentro das notícias sobre o COVID-19 acompanhado as nossas redes sociais!

Fonte: Sebrae RS – Augusto Martinenco.

Deixe um comentário

cinco × três =